Diogo Andrade

Diogo Andrade nasceu em julho de 1985, no Rio de Janeiro. Formou-se em Economia
pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e atuou por mais de 10 anos na indústria
de petróleo e gás. Porém, desde pequeno foi fascinado por histórias de aventura. A
paixão pela literatura, fantasia e quadrinhos o fizeram buscar o sonho de se tornar
escritor.
Lançado no final de 2016 de forma independente na Amazon Brasil, seu primeiro livro,
A Canção dos Shenlongs se tornou um best-seller da Amazon, alcançando o primeiro
lugar em Fantasia Épica em menos de 24 horas e já conta com mais de 100 avaliações
na plataforma, todas positivas.
Na última Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, em setembro de 2017,
Diogo participou da programação oficial na mesa de debate “Publiquei! E agora?!”,

além da mesa de debates de Autores do KDP a convite da Amazon Brasil e do Bate-
papo com o autor, do Submarino e Skoob.

Diogo vive com sua esposa, Carolina Andrade, no Rio de Janeiro, onde trabalha no
próximo livro, que expande o universo ficcional apresentado em A Canção dos
Shenlongs.

Sinopse – A Canção dos Shenlongs:
Best-seller na Amazon Brasil. O livro que em menos de 24h atingiu 1o lugar na categoria
Fantasia Épica.
100% de avaliações positivas!
Mu é um monge shenlong que assiste à expulsão de seu irmão Ruk, condenado por violar a lei
de Shanjin, o Templo da Montanha. A dúvida entre seguir com o irmão ou manter-se fiel aos
ensinamentos monásticos é uma sombra que o aflige.
Mu tenta de toda forma suprimir o conflito. Porém, os problemas se agravam quando um
espadachim misterioso traz a notícia da grande ameaça que pode abalar os Quatro Templos e
levar o mundo a um grande conflito.
Em A Canção dos Shenlongs, Diogo Andrade introduz um universo ficcional elaborado com
suas próprias regras, leis, deuses, religiões e relações de poder, conduzindo o leitor por uma
história de aventura, repleta de ação, artistas marciais e guerreiros habilidosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não sou robô *